Blog da Nina Lemos

‘A Fazenda’: reality vira ‘prezinho’ e prova que tudo sempre pode piorar

'A Fazenda' (Foto: Reprodução)
“A única coisa certa é que na vida tudo pode piorar”. A sabedoria popular parece ter sido feita de encomenda para o programa “A Fazenda”. Tudo pode piorar, sempre. E se já nos acostumamos a ver todos os tipos de baixaria em reality, agora chegou a hora da guerra de cuspe. Guerra de cuspe, isso mesmo. Nem no prezinho isso seria aceitável, mas em um programa de TV pode. A Rede Record já disse que o cuspe não é considerado agressão e que nenhum participante vai ser expulso.

Pronto. A guerra de cuspe virou tendência.

Engraçado perceber que tudo na 'Fazenda' soa mesmo infantilizado. As pessoas ficam de castigo na roça, elas alimentam bichinhos e, claro, se comportam como crianças sem educação. Se eu fosse a diretora da escola, já teria chamado os pais para conversar na hora que rolou o primeiro cuspe. Adulto precisa ir para a sala do diretor? Muitas vezes, sim.

Melhor encarar o “fim do mundo das relações humanas televisionadas” com humor. Além da agressão do cuspe, algumas das frases que foram ditas na Fazenda dos últimos dias:

“Você tem bafo de Pato Donald” (frase de uma criança de quatro anos).

“Você tem cara de travesti, seu bumbum é de silicone, sua barriga é de lipoaspiração. Vai tomar banho, sua porca sem vergonha” (essa parece a versão sub celebridade para o clássico: burra, feia, chata)

“Você parece um esterco de vaca” (briga entre duas crianças de seis anos de férias no sitio da avó).

A Rede Record arrasa (só que ao contrário) ao exibir na TV adultos agindo como crianças sem educação. Seria melhor fazer uma versão de “Super Nanny” e chamar uma babá para ensinar os adultos a agirem.

Guerra de cuspe. Entre adultos. Sim, a única certeza da vida é que tudo sempre pode piorar. Todo mundo está de castigo: os participantes, os diretores do programa e a TV que exibe tal absurdo. Todos para a salinha da tia, já!

Siga-me no Twitter: @ninalemos

Carregando...

Sobre Nina Lemos

Nina Lemos tem 42 anos, e é jornalista e escritora. É uma das criadoras da Revista TPM, onde trabalha como repórter especial. Lançou cinco livros com o trio 02Neuronio e o romance "A Ditadura da Moda". Já trabalhou na "Folha de S.Paulo" como repórter e colunista e é também autora do blog Nina Lemos (mas não entendemos). Blogueira desde quando blog chamava site, já teve blogs também no Estadão e foi colunista do site F5. Tem dois gatos e quer morar em Berlim.